Cabo realiza I Seminário Regional de Saúde Mental e Assédio Moral relacionado ao Trabalho

O I Seminário Regional de Saúde Mental e Assédio Moral relacionado ao Trabalho, promovido pela Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho na manhã desta quarta-feira (28/11), no Centro Administrativo Municipal (CAM I), abordou a exposição de profissionais em situações humilhantes e constrangedoras no ambiente de trabalho. Na ocasião, médicos e psicólogos discutiram o reconhecimento de adoecimentos mentais e os seus métodos de prevenção.

A abertura contou com a apresentação cultural do “Clube de Frevo das Paes”, que utilizou da música como suporte aos problemas mentais. Segundo a coordenadora do Sarte (Saúde, Arte e Educação), Wylna Espinar, a musicoterapia auxilia em muitos tratamentos. “Estamos trazendo momentos artísticos para exemplificar como a arte tem um papel importante na vida das pessoas”, disse.

Na ocasião, o médico do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) de Recife, Luiz Saraiva, abordou o tema “A importância do estabelecimento do nexo causal e da notificação do adoecimento mental relacionado ao trabalho”, destacando os tipos de assédios existentes, principalmente na relação entre chefes e funcionários.

“É a primeira vez que estamos promovendo esse evento no Cabo. Devemos ressaltar a importância de trazer assuntos que estão no nosso dia a dia, mas que não discutimos tanto. A sociedade precisa estar sensibilizada para os sintomas de possíveis transtornos psicológicos e o seminário tem esse papel, para que nós possamos identificar e acolher essas pessoas”, destacou a coordenadora do Cerest Cabo, Rubenita Sobral.

Além de profissionais de saúde do Cabo de Santo Agostinho, o momento contou com a participação de representantes da rede de saúde mental do estado de Pernambuco, além de professores e estudantes interessados no tema. Integrantes como a coordenadora da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador, Creuzalina Xavier, também participaram do evento.

De acordo com o secretário de Saúde do Cabo, José Carlos de Lima, o encontro reforça a importância da gestão em valorizar os trabalhos desempenhados diariamente pelos serviços de saúde. “Estudamos que desde os primórdios a questão da exploração no ambiente de trabalho já existia. Depois disso, temos a escravidão do povo africano. E nos tempos mais modernos, nos deparamos com a exposição do trabalhador e o descaso com a função exercida”, afirmou. “Precisamos nos preocupar com o diagnóstico e tratar problemas quando necessário”, finalizou.

Ao decorrer do dia, profissionais de referência como o psicólogo da Secretaria de Saúde de Pitimbu, Paulo Santos e o diretor jurídico do sindicato dos bancários de Pernambuco, João Rufino, mediaram debates e traçaram métodos de como combater o assédio moral.

Do Blog do Marcos Almeida:  A Notícia em Movimento

Imagem | Esse post foi publicado em SECRETARIO DO CABO. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s