Polícia Federal faz operação contra fraudes na previdência no Cabo de Santo Agostinho-PE

Operação tem como objetivo prender envolvidos em fraudes nas aposentadorias rurais que causou um rombo de R$ 22 milhões aos cofres públicos

Policiais Federais cumprem 28 mandados nesta quarta-feira / Foto: Divulgação/Polícia Federal

Policiais Federais cumprem 28 mandados nesta quarta-feira
Foto: Divulgação/Polícia Federal

JC Online

A Polícia Federal em Pernambuco deflagrou na manhã desta quarta-feira (9), a Operação Insistência, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa no município do Cabo de Santo Agostinho. Os alvos da operação são responsáveis por fraudar benefícios previdenciários e aposentadorias rurais. A ação conta com apoio da Secretaria da Previdência do Ministério da Fazenda e do INSS-Instituto Nacional de Seguridade Social.

Na operação estão envolvidos 120 policiais federais e servidores do INSS que tem como meta cumprir dois mandados de prisão preventiva, 18 de conduções coercitivas e oito de busca e apreensão nos municípios do Cabo e na comunidade de Brasília Teimosa, no Pina.

As investigações da Polícia Federal, que tiveram início no 2015, foram motivadas após descobrir que um servidor do INSS (Instituo Nacional de Seguridade) estaria cometendo uma série de graves irregularidades. Em 12 meses, a APS do Cabo concedeu 1.527 benefícios enquanto a APS de porte semelhante concedeu apenas 139. Levantamentos feitos pela Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária do Ministério da Fazenda apontaram que este servidor é o maior concessor de benefícios rurais do estado de Pernambuco. Estima-se que o valor do prejuízo dado aos cofres públicos chegue a quase R$ 22 milhões.

As pessoas conduzias coercitivamente e os presos serão levados para a sede da Polícia Federal onde serão indiciados e responderão pelos crimes na medida de sua participação. Eles podem responder por estelionato cometido contra entidade de direito público, com pena de 1 a 5 anos de reclusão; Inserção de dados falsos no sistema de informações e falsificação de documento público, ambos com pena de 2 a 6 anos de prisão e Corrupção passiva, de 2 a 12 anos de reclusão.

Insistência

O nome da “Operação Insistência” se deu pelo fato do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Cabo de Santo Agostinho continuar no esquema fraudulento de concessão de benefícios mesmo após a deflagração da Operação Manager que aconteceu em setembro do ano passado. Coletiva de imprensa será concedida nesta quarta às 10h na sede da Polícia Federal onde serão fornecidos maiores detalhes sobre as investigações.

Blog do Marcos Almeida:  A Notícia em Movimento

Esse post foi publicado em Violência PE. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s