Alepe: Projeto de Cleiton Collins prevê limite de R$ 200 mil para cachês de artistas pagos pelo Estado

Foto: Roberto Soares/Alepe

Foto: Roberto Soares/Alepe

O deputado estadual Pastor Cleiton Collins (PP) defendeu, nessa terça-feira (20), que a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) coloque em tramitação, ‘o quanto antes’, o Projeto de Lei (PL) n° 890/2016, que limita em R$ 200 mil o valor dos cachês pagos, no Estado, a artistas contratados com recursos públicos. Do Blog de Jamildo

O parlamentar, que é o autor da proposta, disse considerar “um absurdo” os montantes destinados a alguns cantores – especialmente os que possuem fama nacional – durante as festas de São João. “Venho à tribuna pedir agilidade na tramitação desse projeto, que precisa ser aprovado com urgência por esta Casa”, disse o deputado.

Collins defendeu, ainda, a contratação prioritária de músicos locais para os eventos públicos. “Avalio que os artistas da terra têm total condição de fazer essas apresentações. Independentemente do gênero musical, Pernambuco não pode pagar mais de R$ 200 mil a cantores que levam para fora o dinheiro do Estado”, acrescentou.

POLÊMICA

Foto: Divulgação

Altos cachês chamam a atenção no período junino. Em 2017, um ano depois de ter o valor do cachê questionado pelo Ministério Público de Pernambuco, o cantor Wesley Safadão gerou polêmica pelo valor cobrado para se apresentar no dia 28 de junho na abertura do São João de Carpina, na Zona da Mata: R$ 450 mil. Na publicação, a secretária de Educação, Esportes e Lazer do município, Milca Maria da Silva, pede inexigibilidade de licitação para contratação do cantor.

No São João do ano passado, o show de Wesley Safadão no São João de Caruaru – cujo cachê era de R$ 575 mil – chegou a ser cancelado pela Justiça. A apresentação foi mantida, bancada por patrocinadores. Para amenizar a polêmica, o cantor cearense acabou doando o cachê para instituições filantrópicas da cidade.

Uma outra polêmica tomou conta do período pré-junino deste ano: a suposta descaracterização dos festejos. Vários artistas se mobilizaram em torno da campanha “Devolva o Meu São João”, que desencadeou bate-boca entre forrozeiros e sertanejos. A cantora Elba Ramalho, por exemplo, criticou a programação de Campina Grande, na Paraíba, e reclamou do espaço tomado por artistas da música sertaneja nas grades juninas.

Blog do Marcos Almeida:  A Notícia em Movimento

Esse post foi publicado em alepe. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s